Ir para o conteúdo
ou

Ramo Agropecuário

 Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Sistema OCEB realiza primeiro “Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo”

14 de Dezembro de 2018, 13:55 , por Brenda Gomes - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 78 vezes
01

O Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado da Bahia-OCEB, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado da Bahia- SESCOOP/BA e a Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB, realizou na última sexta-feira (07/12) o “I Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo: os desafios e perspectivas na geração compartilhada”.

No evento, que contou com a participação de cooperativistas de diferentes ramos do Sistema Cooperativista Brasileiro, estiveram presentes também representantes de instituições ligadas ao tema, como: Ministério de Minas e Energia, Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia - SDE e Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia – Coelba. A atividade foi iniciada com as boas-vindas do presidente do Sistema OCEB, Cergio Tecchio, que destacou a importância da temática para as cooperativas “que são uma das principais beneficiárias, quando o assunto é inovação e distribuição de energia”.

07

Dando início ao ciclo de palestras, o Superintendente de Atração e Desenvolvimento de Negócios, da Secretaria de Desenvolvimento do Estado da Bahia, Paulo Guimarães, fez um panorama sobre o setor de energias renováveis no estado e sobre as viabilidades que as cooperativas têm ao adotarem esse modelo. “Hoje é muito importante que a população em geral, e principalmente, empresas de pequeno e médio porte, cooperativas e municípios, tomem conhecimento da potência que as energias renováveis têm para a geração de negócio, também para a redução de custos dessas empresas. Cooperativas têm todas as possibilidades de se tornarem mais viáveis economicamente se aproveitarem esse potencial, principalmente da energia solar. Porque elas terão capacidade de ter retorno desse investimento em pouco tempo, reduzindo muito o seu custo de energia elétrica, que, muitas vezes, é um fator determinante para um projeto ou outro”.

Com a missão de disseminar sobre as dinâmicas da geração de energia compartilhada, Lívio Teixeira, do Ministério de Minas e Energia, abordou a relevância de difundir o modelo. “A geração distribuída está crescendo e uma das políticas no Ministério é incentivar o desenvolvimento desse modelo de geração. Por isso, vemos esse evento como uma oportunidade importante para a gente, no sentido de disseminar as informações do Ministério. Esse momento é muito importante para as cooperativas, para que elas também comecem a perceber outras possibilidades de investimento”.

Para Marcelo Feraz, Consultor de Geração Distribuída da Coelba, a atividade funcionou como um retorno das expectativas dos consumidores e empresários baianos, que, cada vez mais, têm demostrado interesse nos modelos de geração de energia limpa. “É gratificante ver que a sociedade tem abraçado. Afinal de contas não tem só o fator financeiro, tem o fator da preservação do meio ambiente em si. Então é importante para nós recebermos esse feedback dos empresários e dos consumidores. A ideia está avançando bastante. A distribuidora está se organizando e avançando para receber essa demanda que está crescendo cada vez mais”, afirmou.

06

CASES DE SUCESSO

Com o objetivo de atualizar e informar as cooperativas sobre este tema tão atual, que alia o desenvolvimento socioeconômico e a preocupação com o meio ambiente, o “I Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo: os desafios e perspectivas na geração compartilhada” em sua programação contou com a apresentação de dois casos de sucesso de cooperativas que já conseguem desenvolver o cooperativismo de Energia Sustentável no Brasil: da Cooperativa Brasileira de Energia Renovável – COOBER (PA) e do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil – Sicoob (ES).

 Para o Consultor e Sócio Fundador da COOBER, Claudio Barbosa, a “geração distribuída” e cooperativismo são temas relacionados em suas matrizes e princípios. “Falar de energia renovável para quem é cooperativista é muito mais fácil, pois geração distribuída de energia não é nada mais que colocar o cooperativismo em prática. A geração distribuída depende realmente do cooperativismo, porque há a redução de custos na implantação e o benefício coletivo da localidade”.

Apresentando a experiência do Sicoob/ES, que instalou uma usina fotovoltaica em uma de suas agências e tem financiado projetos para a produção de energia limpa, o Diretor Presidente do Sicoob Centro-Serrano e Diretor Vice-presidente do Sicoob Central (ES), Arnor Kerckhoff, abordou a necessidade de compartilhar experiências de sucesso entre as cooperativas brasileiras.

“O cooperativismo se constrói dividindo. Nós conseguimos achar um modelo de negócio para a geração de energia compartilhada e nós viemos partilhar esse modelo de gestão com o sistema cooperativista da Bahia. Se aplicarmos esse modelo, de imediato, teremos o impacto econômico, logo após, impactos ambientais positivos, contribuído para o meio ambiente, gerando energia limpa”, afirmou.

 

COOPERATIVISMO E GERAÇÃO DE ENERGIA

Atentos à necessidade de discutir pautas que também possam garantir a participação das cooperativas em novas oportunidades de negócios, à luz da Resolução 482/2012 da ANEEL, o “I Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo: os desafios e perspectivas na geração compartilhada” contou com a presença do Analista Técnico Econômico do Sistema OCB, Marco Olívio, que abordou a  viabilidade técnica e econômica de implantação de projetos de energias renováveis para o cooperativismo.

“A gente tenta casar dois mundos sustentáveis e de equilíbrio, onde todo mundo ganha: o cooperativismo e energias renováveis. Já são 122 projetos dentro de cooperativas brasileiras que já geram sua própria energia, em um modelo de compensação de energia. Nosso desafio é divulgar isso, para que mais cooperativas possam desenvolver projetos como esse. Porque ganha todo mundo: a comunidade, os cooperados, o meio ambiente e o fomento ao desenvolvimento de renda na região”, disse.

A Engenheira Agrônoma do Sistema OCEB, Carine Andrade, ressaltou a necessidade de abordar o tema. “A discussão sobre energias renováveis vem ganhando espaço e importância na busca por um desenvolvimento sustentável. Sendo de extrema relevância o Sistema Oceb promover eventos como esse, para que as cooperativas baianas conheçam mais sobre o assunto, demonstrando a potencialidade da geração compartilhada de energia como uma excelente oportunidade para o cooperativismo”.  

 

Ascom OCEB. 


Categorias

Serviços, Redes/Cadeias, Agropecuário

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

* campo é obrigatório

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.