Ir para o conteúdo
ou

Ramo Agropecuário

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Blog

31 de Janeiro de 2013, 0:00 , por Rede Ola.coop.br - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Workshop aborda certificação e mercado de orgânicos na Bahia

28 de Outubro de 2019, 13:31, por Brenda Gomes - 0sem comentários ainda                  Apresentação da experiência da Cooperativa Mista Agropecuária de Paraguaçu – COOMAP, do Paraguaçu (MG).

Se existe um mercado que tem tido um crescimento significativo no Brasil e no mundo, este é o mercado de produtos orgânicos, que encontra-se em expansão, tanto no número de consumidores, como na produção e exportação de alimentos. Segundo o Cadastramento Nacional de Produtores orgânicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) até o mês de março de 2019, foram registrados 17,7mil produtores orgânicos, e 22 mil unidades de produção.

Compreendendo este potencial de mercado o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado da Bahia - OCEB e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado da Bahia - SESCOOP/BA, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE/BA e o com a Federação da Agricultura e Pecuária - FAEB, realizaram na última segunda-feira (21/10) o workshop “Orgânicos: Certificação e Mercado”.

O evento, que reuniu representantes de cooperativas, associações e organizações não governamentais, foi realizado no auditório da FAEB e foi iniciado com as boas-vindas do presidente da instituição, Humberto Miranda Oliveira, que agradeceu a presença dos participantes e destacou a importância do tema para os produtores baianos, já que existe uma demanda do mercado nacional e internacional. “Essa parceria entre a OCEB, SESCOOP/BA e a FAEB é super importante pois temos uma missão em comum, que é capacitar os produtores para que possam encarar o mercado com mais competência técnica e de forma mais competitiva.”  Na oportunidade, o presidente do Sistema OCEB, Cergio Tecchio, reafirmou a importância da parceria entre as instituições e destacou a necessidade das cooperativas baianas terem mais acesso ao mercado de orgânicos. “Conhecer o mercado de orgânicos possibilitará as cooperativas do nosso estado trabalharem de uma forma mais estratégica e com mais qualidade”, afirmou.

A programação foi voltada para abordagem de temas estratégicos para o mercado de orgânicos no estado. Para o agrônomo, da Cooperativa de Produtores Orgânicos e Biodinâmicos da Chapada Diamantina – COOPERBIO, Fábio Melo, o evento funcionou como um impulsionador para a cooperativa que já tem uma atuação no mercado. “Saber que temos o Sistema OCEB como incentivador é essencial para as cooperativas. Ganhamos mais estimulo quando participamos de eventos que considerem a importância deste mercado”, afirmou.

Para o palestrante Aldir Parisi, “as cooperativas muitas vezes não têm uma ideia clara de como funciona o mercado, e quais são as exigências para participar dele.  Quando você passa uma abordagem feita de fora para dentro, do que o mercado busca, e onde as cooperativas precisam buscar as suas estratégias de ações, de produtos, de preço, de distribuição, ela passa a entender melhor o porquê precisam de informação para encarar este mercado”.

Trazendo a experiência da Cooperativa Mista Agropecuária de Paraguaçu – COOMAP, do Paraguaçu (MG), com o nicho de orgânicos e a certificação fairtrad, o superintendente da cooperativa, Renato de Melo, evidenciou sobre a necessidade das cooperativas brasileiras trocarem experiências acerca das suas atuações no mercado. “Muitas vezes uma experiência que foi desenvolvida no sul de Minas Gerais pode ser implantada aqui na Bahia, há uma grande necessidade das entidades  comunicarem entre si.”

Melo também destacou a demanda crescente do mercado de orgânicos nacional e internacional.  “O orgânico é uma cultura alimentar totalmente diferente.  É um negócio onde principalmente o mercado internacional está ávido para o consumo de produtos orgânicos, ou seja, tem uma demanda maior que a oferta. E nós como produtores temos que compreender que devemos  adequar a oferta em relação à demanda. Então, se nós temos uma procura maior, se está sendo viável financeiramente e tecnicamente, nós temos que trabalhar esses nichos”, afirmou.

  • Confira as apresentações dos palestrantes do workshop “Orgânicos: Certificação e Mercado clicando aqui


Produção de energias renováveis para o cooperativismo é tema de workshop

11 de Outubro de 2019, 17:00, por Brenda Gomes - 0sem comentários ainda

A qualidade e o nível de capacidade de fontes energéticas são indicadores importantes do desenvolvimento de uma região. No Brasil, à medida que o país tem se modernizado, o setor energético tem se desenvolvido E, de acordo com o Balanço Energético Nacional 2019, no Brasil as principais fontes de energia, são: hidroelétrica (12,6%), petróleo (34%), gás natural (12,5%), biomassa de cana (17,4%), além de algumas outras utilizadas em menor escala, como a energia nuclear.

Devido aos impactos causados pelo uso de combustíveis para a produção de energia, o Brasil vem buscando a ampliação de sua matriz energética, investindo em fontes de energia renováveis, aquelas geradas a partir de recursos naturais capazes de se regenerar. Entendendo a importância desta busca, o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado da Bahia-OCEB, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado da Bahia- SESCOOP/BA, com a Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB e com a Confederação Alemã das Cooperativas – DGRV, realizou na última quarta-feira (9/10) o “II Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo: As cooperativas baianas na geração distribuída de energia”.

O evento, que aconteceu na capital baiana, foi iniciado pelo presidente do Sistema OCEB, Cergio Tecchio, e contou com a presença da representante da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia – SDE, Laís Maciel, que apresentou o cenário do setor de energias renováveis no estado e apontou os ganhos que as cooperativas têm ao abraçar a ideia.  “Só em apresentar as oportunidades destes setores para os cooperados presentes, a gente já começa a difundir informações, e mostrar que é possível, sim, investir neste setor ou ter lucros com o uso deste setor. Como, por exemplo, uma cooperativa que implanta um sistema de energia fotovoltaica pode reduzir seus custos de energia através deste investimento, aumentando a possibilidade de vida da própria cooperativa”, afirmou.

Trazendo a experiência alemã em energias renováveis para o cooperativismo, a gerente de projetos da DGRV, Camila Japp, apontou a geração de energia compartilhada como uma opção de negócio possível na Bahia. “Com a mudança da regulamentação em 2016, que possibilitou que a gente gerasse energia em conjunto, apareceu aí uma enorme oportunidade para as cooperativas. Cooperativa de Energia Renovável já é uma oportunidade na Alemanha e a gente quer difundir essa oportunidade para todo o Brasil e para a Bahia que tem condições muito especiais”disse.

Nessa linha de energia compartilhada, o consultor da DGRV, José Zloccowick, apresentou como está se desenvolvendo esse mercado e as oportunidades e desafios que as cooperativas encontrarão ao investir em geração de energia fotovoltaica.  “A energia renovável veio para ficar. Em todo mundo esse modelo é observado, tanto pelo empoderamento das pessoas e das instituições que passam a gerar sua própria energia e ter mais controle e responsabilidade sobre o seu consumo energético, quanto pelo mercado que passa a entender que o modelo centralizado aos poucos tem se diluído. É um modelo que tem um futuro promissor”, afirmou.

COOPERATIVISMO E ENERGIAS RENOVÁVEIS

Presente pelo segundo ano no evento, o analista técnico da Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB,  Marco Olívio, destacou que “a energia é insumo para o desenvolvimento. Quando falamos em produzir a nossa própria energia, além de economia estamos gerando negócio em nossas cooperativas. Isso é sustentabilidade e interesse pela comunidade”.

O evento proporcionou aos participantes, ainda, conhecer, de perto, dois cases de sucesso desenvolvidos dentro de cooperativas. Um deles, um case baiano, da Cooperativa Educacional de Barreiras, que utiliza energia solar de forma limpa e sustentável, e outro apresentado por Cristian Venturin, supervisor de qualidade da Cooperativa Agropecuária Regional de Campos Novos – Copercampos (SC), cooperativa pioneira na utilização de energia solar na região sul. “O primeiro passo para mudarmos a matriz energética, já que o sol está aí para todos. Sem custos, garantimos a sustentabilidade da cooperativa e também oferecemos esse benefício para os associados da cooperativa”, afirmou.

 

Confira as apresentações dos palestrantes do II Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo clicando aqui. 



Sistema OCEB realiza primeiro “Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo”

14 de Dezembro de 2018, 13:55, por Brenda Gomes - 0sem comentários ainda

O Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado da Bahia-OCEB, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado da Bahia- SESCOOP/BA e a Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB, realizou na última sexta-feira (07/12) o “I Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo: os desafios e perspectivas na geração compartilhada”.

No evento, que contou com a participação de cooperativistas de diferentes ramos do Sistema Cooperativista Brasileiro, estiveram presentes também representantes de instituições ligadas ao tema, como: Ministério de Minas e Energia, Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia - SDE e Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia – Coelba. A atividade foi iniciada com as boas-vindas do presidente do Sistema OCEB, Cergio Tecchio, que destacou a importância da temática para as cooperativas “que são uma das principais beneficiárias, quando o assunto é inovação e distribuição de energia”.

07

Dando início ao ciclo de palestras, o Superintendente de Atração e Desenvolvimento de Negócios, da Secretaria de Desenvolvimento do Estado da Bahia, Paulo Guimarães, fez um panorama sobre o setor de energias renováveis no estado e sobre as viabilidades que as cooperativas têm ao adotarem esse modelo. “Hoje é muito importante que a população em geral, e principalmente, empresas de pequeno e médio porte, cooperativas e municípios, tomem conhecimento da potência que as energias renováveis têm para a geração de negócio, também para a redução de custos dessas empresas. Cooperativas têm todas as possibilidades de se tornarem mais viáveis economicamente se aproveitarem esse potencial, principalmente da energia solar. Porque elas terão capacidade de ter retorno desse investimento em pouco tempo, reduzindo muito o seu custo de energia elétrica, que, muitas vezes, é um fator determinante para um projeto ou outro”.

Com a missão de disseminar sobre as dinâmicas da geração de energia compartilhada, Lívio Teixeira, do Ministério de Minas e Energia, abordou a relevância de difundir o modelo. “A geração distribuída está crescendo e uma das políticas no Ministério é incentivar o desenvolvimento desse modelo de geração. Por isso, vemos esse evento como uma oportunidade importante para a gente, no sentido de disseminar as informações do Ministério. Esse momento é muito importante para as cooperativas, para que elas também comecem a perceber outras possibilidades de investimento”.

Para Marcelo Feraz, Consultor de Geração Distribuída da Coelba, a atividade funcionou como um retorno das expectativas dos consumidores e empresários baianos, que, cada vez mais, têm demostrado interesse nos modelos de geração de energia limpa. “É gratificante ver que a sociedade tem abraçado. Afinal de contas não tem só o fator financeiro, tem o fator da preservação do meio ambiente em si. Então é importante para nós recebermos esse feedback dos empresários e dos consumidores. A ideia está avançando bastante. A distribuidora está se organizando e avançando para receber essa demanda que está crescendo cada vez mais”, afirmou.

06

CASES DE SUCESSO

Com o objetivo de atualizar e informar as cooperativas sobre este tema tão atual, que alia o desenvolvimento socioeconômico e a preocupação com o meio ambiente, o “I Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo: os desafios e perspectivas na geração compartilhada” em sua programação contou com a apresentação de dois casos de sucesso de cooperativas que já conseguem desenvolver o cooperativismo de Energia Sustentável no Brasil: da Cooperativa Brasileira de Energia Renovável – COOBER (PA) e do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil – Sicoob (ES).

 Para o Consultor e Sócio Fundador da COOBER, Claudio Barbosa, a “geração distribuída” e cooperativismo são temas relacionados em suas matrizes e princípios. “Falar de energia renovável para quem é cooperativista é muito mais fácil, pois geração distribuída de energia não é nada mais que colocar o cooperativismo em prática. A geração distribuída depende realmente do cooperativismo, porque há a redução de custos na implantação e o benefício coletivo da localidade”.

Apresentando a experiência do Sicoob/ES, que instalou uma usina fotovoltaica em uma de suas agências e tem financiado projetos para a produção de energia limpa, o Diretor Presidente do Sicoob Centro-Serrano e Diretor Vice-presidente do Sicoob Central (ES), Arnor Kerckhoff, abordou a necessidade de compartilhar experiências de sucesso entre as cooperativas brasileiras.

“O cooperativismo se constrói dividindo. Nós conseguimos achar um modelo de negócio para a geração de energia compartilhada e nós viemos partilhar esse modelo de gestão com o sistema cooperativista da Bahia. Se aplicarmos esse modelo, de imediato, teremos o impacto econômico, logo após, impactos ambientais positivos, contribuído para o meio ambiente, gerando energia limpa”, afirmou.

 

COOPERATIVISMO E GERAÇÃO DE ENERGIA

Atentos à necessidade de discutir pautas que também possam garantir a participação das cooperativas em novas oportunidades de negócios, à luz da Resolução 482/2012 da ANEEL, o “I Workshop de Energias Renováveis para o Cooperativismo: os desafios e perspectivas na geração compartilhada” contou com a presença do Analista Técnico Econômico do Sistema OCB, Marco Olívio, que abordou a  viabilidade técnica e econômica de implantação de projetos de energias renováveis para o cooperativismo.

“A gente tenta casar dois mundos sustentáveis e de equilíbrio, onde todo mundo ganha: o cooperativismo e energias renováveis. Já são 122 projetos dentro de cooperativas brasileiras que já geram sua própria energia, em um modelo de compensação de energia. Nosso desafio é divulgar isso, para que mais cooperativas possam desenvolver projetos como esse. Porque ganha todo mundo: a comunidade, os cooperados, o meio ambiente e o fomento ao desenvolvimento de renda na região”, disse.

A Engenheira Agrônoma do Sistema OCEB, Carine Andrade, ressaltou a necessidade de abordar o tema. “A discussão sobre energias renováveis vem ganhando espaço e importância na busca por um desenvolvimento sustentável. Sendo de extrema relevância o Sistema Oceb promover eventos como esse, para que as cooperativas baianas conheçam mais sobre o assunto, demonstrando a potencialidade da geração compartilhada de energia como uma excelente oportunidade para o cooperativismo”.  

 

Ascom OCEB. 



OCEB E SESCOOP/BA participam de mais uma edição da Exposição Conquista

21 de Março de 2018, 13:39, por Ana Paula Mamede - 0sem comentários ainda
 
A 52ª Exposição Agropecuária Nacional de Vitória da Conquista, edição 2018, foi encerrada na noite do último domingo (18) e ofereceu uma programação variada com mais de 100 palestras, cursos, leilões, exposição de animais, somando ainda o número de participantes, que esse ano foi recorde. O evento, promovido pela Cooperativa Mista Agropecuária Conquistense (Coopmac), teve sua abertura oficial no dia 13 de março e contou com a presença do vice-governador da Bahia, João Leão, do prefeito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão, além de autoridades, instituições, entidades e parceiros de vários setores.

Participando de mais uma edição do evento, o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado da Bahia (OCEB) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado da Bahia (SESCOOP/BA) tiveram como representantes a analista técnica agropecuária da OCEB, Carine Andrade e o analista de monitoramento do SESCOOP/BA, Valter Sampaio, que realizaram o atendimento às cooperativas da região e a disseminação do cooperativismo no stand do Sistema OCEB. No espaço, o público pode conhecer as ações, programas e os serviços que são oferecidos pela OCEB e SESCOOP/BA. 

De acordo com o analista de monitoramento do SESCOOP/BA, Valter Sampaio, a 52ª Exposição superou as expectativas de público em relação as edições anteriores.

Este ano tivemos um saldo muito positivo em relação ao atendimento, pois a procura foi bem maior que em outras edições. Apesar de algumas pessoas desconhecerem o cooperativismo, a presença do Sistema OCEB contribuiu para maior divulgação dos benefícios e valores cooperativistas para a sociedade”, avaliou o analista.

​Na opinião do presidente da Cooperativa Mista Agropecuária Conquistense (Coopmac), Jaymilton Gusmão, a participação do Sistema OCEB validou por meio de ação direta o que representa o cooperativismo. “É aquilo que a gente vem pregando, que é a disseminação dos princípios cooperativistas, as boas práticas para cada vez mais serem ampliadas, multiplicadas, e este ano a visitação foi muito intensa, muita gente participou e valorizou bastante esta presença, que já é uma tradição, com três anos consecutivos, tirando dúvidas de cooperados ou não, das diversas cooperativas que fazem parte do sistema”, avaliou.

A presença do Sistema OCEB em mais uma edição da Expoconquista reforça o seu compromisso como entidade representativa e de aprendizagem do cooperativismo, visando se tornar cada vez mais conhecido na sociedade.

Com informações da Coopmac (Texto adaptado pela Ascom OCEB)

Clique AQUI e confira outras fotos do evento



Sistema OCEB participa da 52ª Expoconquista

15 de Março de 2018, 12:35, por Ana Paula Mamede - 0sem comentários ainda
O Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado da Bahia (OCEB) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado da Bahia (SESCOOP/BA) participam da 52ª Expoconquista, evento que começou na última terça (13) e segue até o próximo domingo (18), no Parque de Exposições Teopompo de Almeida, em Vitória da Conquista. Como realizado nos anos anteriores, a OCEB e o SESCOOP/BA dispõem de um stand no local, onde estão sendo feitos atendimentos às cooperativas da região, que poderão obter informações sobre os serviços e as ações desenvolvidas pelo Sistema.

Promovida pela cooperativa Mista Agropecuária Conquistense – COOPMAC, a 52ª Expoconquista conta com uma variada programação, entre opções de lazer e negócios de diversos segmentos. Este ano a feira deve atrair cerca de 120 mil pessoas.

Confira algumas fotos do stand:  

52 expoconquista 01

 

52 expoconquista 05

 

52 expoconquista 03

 

52 expoconquista 09