Ir para o conteúdo
ou

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Blog

31 de Janeiro de 2013, 0:00 , por Rede Ola.coop.br - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

JovemCoop Bahia

27 de Agosto de 2018, 14:00, por Iasmin Santana - 0sem comentários ainda

Conheça mais sobre a experiência do JovemCoop na Bahia e do quanto o cooperativismo tem proporcionado aos jovens experiências que contribuem para seu desenvolvimento pessoal e profissional por meio do despertar da cultura da cooperação e do fortalecimento da doutrina cooperativista.



JovemCoop na Bahia: turmas do ciclo 2018 são finalizadas

24 de Agosto de 2018, 20:22, por Iasmin Santana - 0sem comentários ainda

Jovens cooperativistas conscientes sobre seu papel para o desenvolvimento sustentável das cooperativas e do quanto podem colaborar para fortalecer a cultura da cooperação na sociedade já estão ajudando a construir a história do cooperativismo baiano. E uma das razões que justifica essa compreensão é a participação desses jovens no ciclo 2018 do Programa Juventude Cooperativista – JovemCoop, promovido pelo Sescoop/BA, em parceria, com as cooperativas: SICREDI Região Sul da Bahia, sediada em Itabuna, e COOMAP, localizada em São Sebastião do Passé.

As turmas totalizaram 45 participantes e foram formadas por funcionários, dirigentes, conselheiros e cooperados, bem como os cônjuges e filhos desses cooperados, das cooperativas parceiras (acima citadas), além da Unimed Itabuna, Uniodonto Região Sul da Bahia, Uniodonto Bahia Sul e Sicoob Coopec.

Jovemcoop encerramento 3

Encerramento do ciclo

A finalização desse ciclo aconteceu no final de julho, na Coomap, e início de agosto, na SICREDI Região Sul da Bahia, reunindo todos os participantes, gestores e funcionários das cooperativas envolvidas, dirigentes do Sistema OCEB e integrantes da Cooperativa de Trabalho dos Profissionais Liberais da Bahia (COOLIBA), responsável por ministrar as aulas do programa.

Durante os eventos de encerramento, depois de apresentarem seus trabalhos de conclusão de curso, os participantes foram certificados. Nas falas de avaliação ficou claro o quanto os jovens aprenderam no decorrer dos módulos sobre cooperativismo, liderança, relações interpessoais, governança, gestão, legislação cooperativista, autogestão e organização do quadro social da cooperativa, sendo que muitos desses assuntos têm correlação com o PDGC – Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas. 

Nesta edição, um fato interessante merece destaque: mãe e filho participaram juntos do JovemCoop. Noelia Pereira Santos e Kevin Igor Santos dividiram a mesma sala e as experiências ao longo do ciclo. Noelia já é funcionária da Coomap e gostou da participação do filho porque, segundo ela, Kevin pôde aprender sobre o cooperativismo e desenvolver diferentes habilidades para atuar tanto nas cooperativas, quanto na comunidade.

 Jovemcoop encerramento 1

Aprendizados

Os conhecimentos adquiridos servirão não só para o exercício da liderança na cooperativa, mas são úteis para a vida. Essa é a opinião de Paulo  Roberto Fonseca, que participou da turma no Sicredi Região Sul: “O JovemCoop foi uma experiência maravilhosa que eu vou levar pelo resto da vida. A gente aprende muito; os professores são qualificados;  e compreender sobre a filosofia cooperativa agrega valor na carreira e pessoalmente porque você leva [os ensinamentos] para a vida”.

A expectativa dos participantes é que programas como o JovemCoop aconteçam em outras regiões da Bahia para oportunizar que mais pessoas  desenvolvam o espírito de cooperação e seus talentos pessoais a serviço das cooperativas e da construção de uma sociedade melhor. “Foi enriquecedor participar do JovemCoop e pude perceber o quanto ele é bom para a nossa comunidade. Esse programa deve circular não só em nossa região, mas em todo o Brasil”, ressaltou Maicon de Jesus Santos, da Unimed Itabuna.

O Sescoop/BA está atento às demandas das cooperativas baianas e, por isso, já viabilizou a realização de novas edições do JovemCoop para esse ano. A cooperativa Sicoob Extremo Sul já está com as inscrições abertas para uma turma.

 

Assista ao vídeo sobre o JovemCoop na Bahia

Clique aqui e assista ao vídeo que preparamos para que conheça mais sobre a experiência do JovemCoop na Bahia e do quanto o cooperativismo tem proporcionado aos jovens experiências que contribuem para seu desenvolvimento pessoal e profissional por meio do despertar da cultura da cooperação e do fortalecimento da doutrina cooperativista.

 

Por Ascom Sescoop/BA

Fotos cedidas pelas cooperativas



Ciclo 2018 do Jovemcoop é iniciado na Bahia

9 de Janeiro de 2018, 20:17, por Portal Bahia Cooperativo - 0sem comentários ainda

Os municípios baianos de São Sebastião do Passé e Itabuna são os novos a sediar mais um ciclo do Programa Juventude Cooperativista – JovemCoop. As duas turmas de 2018 iniciaram as aulas nos dias 05 e 06 de janeiro com o primeiro módulo dos quinze que compõem esse Programa, que é promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado da Bahia, em parceria, nesta edição, com as cooperativas: SICREDI REGIÃO SUL DA BAHIA - Cooperativa de Crédito Sicredi Região Sul da Bahia e COOMAP - Cooperativa Nacional de Transporte Corporativo.

As boas-vindas aos participantes desse ciclo foram dadas pela diretoria do Sistema OCEB, sendo que em São Sebastião do Passé foi o presidente, Cergio Tecchio, que recepcionou o público, e, em Itabuna, o superintendente, Alberto Batista. Ambos expressaram a satisfação da continuidade do JovemCoop em mais um ano e do quanto esse Programa tem proporcionado educação cooperativista para jovens baianos de diferentes cidades do estado.

Jovemcoop ciclo 2018 ssp

Ao longo da formação, os jovens vivenciarão momentos com aulas teóricas, oficinas, elaboração de projetos e visitas de campo para aprofundar os assuntos tratados durante os módulos do programa, como “Governança cooperativista”, “Autogestão e organização do quadro social”, “Comunicação verbal e escrita”, “Liderança cooperativista”, dentre outros.

Kevin Igor, 18 anos, é um dos participantes do Programa e a expectativa dele é de agregar novos conhecimentos. Ele expressou o seu interesse de no final do ciclo atuar em alguma cooperativa, como a de sua mãe, cooperada da COOMAP, e também destacou que achou muito bom o tema do primeiro módulo e a forma de abordagem da instrutora.

Marília Cavalcante Reis, da Cooperativa de Trabalho dos Profissionais Liberais da Bahia – COOLIBA, instrutora do Programa, explicou que “o primeiro módulo foi o de Relações Intra e Interpessoal, cujos temas fazem parte do nosso cotidiano. Foi possível analisar e refletir como interagimos com nós mesmos e com as outras pessoas. Nosso objetivo é fomentar o espírito de cooperação, equipe, socialização, criatividade, respeito às diferenças, o emprego dos talentos pessoais a serviço da comunidade, fortalecendo, assim, as relações cooperativistas e colaborativas”.

Jovemcoop ciclo 2018 itabuna 7

Sobre o JovemCoop

O JovemCoop é voltado para o público jovem e tem como objetivo formar lideranças cooperativistas para a sustentabilidade das cooperativas, para o fortalecimento da cultura da cooperação e da doutrina cooperativista. Ao participar do programa, o jovem tem a oportunidade de conhecer a doutrina, os valores e os princípios do cooperativismo; compreender o papel que a cooperativa exerce na sociedade, além de identificar e aperfeiçoar suas habilidades para o exercício da liderança nos diversos espaços da sociedade cooperativa, além de vivenciar experiências que vão contribuir para o desenvolvimento dele como cidadão.

O Jovemcoop reúne jovens entre 18 e 35 anos, sendo uma média de 30 participantes por turma. Os participantes são: funcionários, dirigentes, conselheiros, cooperados de cooperativas integrantes do Sistema OCEB, bem como os cônjuges e filhos desses cooperados.

As aulas dessa edição serão novamente ministradas pelos associados da COOLIBA e terá a carga horária total de 172h.

 

Confira mais fotos clicando AQUI.

Por ASCOM SESCOOP/BA

Fotos: Sistema OCEB e cedidas por Marília Reis 



Texto "Medo e controle"

26 de Abril de 2013, 0:00, por Vicente Aguiar - 0sem comentários ainda

Medo e controle

Por João Ubaldo Ribeiro em 23/04/2013 na edição 743

Essa estupidez inqualificável perpetrada em Boston aviva o receio de um futuro de insegurança, desconfiança e medo para toda a Humanidade. Grande parte dela já enfrenta isso, mas todos podemos esperar um futuro bem diferente do que os que cresceram no século passado imaginavam. Acreditávamos possível uma vida privada, sem partilhar com ninguém nosso comportamento pessoal, práticas, idiossincrasias e mesmo esquisitices que não fossem da conta alheia. Encarávamos como um pesadelo distante e evitável o mundo descrito por George Orwell em 1984, com sua omnipresente teletela sempre ligada e a vida dos governados escrutinada em todos os detalhes.

Hoje a tecnologia prevista por Orwell parece saída das velhas séries de Flash Gordon e a aspiração a uma vida privada, ao menos parcialmente livre do controle do Estado e de grandes organizações, não passa agora – e no futuro muito mais – de uma utopia ou lembrança nostálgica. Estamos só começando, mas a tecnologia marcha aceleradamente e as mudanças chegam sem aviso, para só as percebermos quando se torna claro que vieram para ficar. Muitos de nós entontecemos com essa velocidade, gostaríamos que houvesse mais tempo para assimilar as novidades, cansamos de tanto aprender e desaprender sem cessar. Os recalcitrantes se escondem delas, fazem tudo para ignorá-las e mesmo hostilizá-las, mas sabemos que não adianta. Por exemplo, se um vírus hipotético afetasse repentinamente todos os computadores de um país qualquer, inclusive o Brasil, o caos seria absoluto. Não teríamos comunicações, água, energia elétrica, aviões voando, bancos e comércio funcionando, hospitais, nada mesmo. O vírus resultaria, nesse sentido, muito mais eficaz que um bombardeio pesado. Os programas de sabotagem eletrônica são importante arma de guerra, porque não há como escapar da malha informática.