Ir para o conteúdo
ou

Thin logo

Tela cheia
 Feed RSS

Dicas

19 de Junho de 2015, 19:55 , por George Freitas - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

3 dicas para sua empresa se dar bem nas mídias sociais

26 de Junho de 2015, 12:57, por George Freitas - 0sem comentários ainda

Com a popularização das redes sociais, as pessoas ganharam um forte canal de comunicação com as empresas. Segundo Suelen Giacomele, da Pmweb, empresa que desenvolve soluções de marketing, a facilidade na interação pode trazer benefícios e problemas para os empreendedores. Basicamente, a imagem de um negócio nas redes depende da sua capacidade de oferecer produtos e serviços de qualidade, bem como da habilidade em gerenciar crises surgidas online. Se isso der certo, o dono da empresa pode até usar o canal para efetuar vendas.

Se esse é seu objetivo, Suelen listou alguns pontos essenciais para alcançá-lo. Confira:

1. Invista em relacionamento

Assegure-se de que sua marca está ativa nas redes sociais mais utilizadas, como Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn. O que é apresentado ao cliente é o que deve ser entregue, sem distorções. Dito isso, seja um analista: acompanhe ativamente as interações. Estude-as. Assim, você entende quais são os elogios de seus clientes, as críticas e as postagens que mais viralizam. Repita o que deu certo e deixe de lado o que não funciona.

2. Perceba um novo canal de vendas

De acordo com Suelen, é importante promover sua marca e fazer com que seu produto ou serviço chegue ao consumidor.  Com as redes sociais, as empresas podem ser encontradas com um clique. Portanto, planeje estratégias promocionais específicas para suas páginas. Vá atrás dos antigos, atuais e possíveis clientes. Descubra o que os interessa e pense em ações que os atinjam.

3. Social media na prática

Mas sua presença nas redes não consiste apenas em tratar bem os fãs ou criar promoções com certa regularidade. É essencial ser relevante e mobile. Suelen afirma que é importante criar conteúdo com coesão e variedade. Também faça das redes sociais um mecanismo de compra e, ainda mais, um canal de comunicação ativo e real. Planeje-se na ponta do lápis, crie métricas, calcule horas de produção.

Não minta, não mascare verdades. Você faz parte de um banco de informações que alcança centenas de milhões de pessoas ao redor do mundo. E acredite: se você errar, você será descoberto, de acordo com a especialista. Aproveite compartilhamentos, saiba interpretar o que a interação e os feedbacks sugerem. Não interessa o quão bom o texto do seu texto seja – a imagem, no post, é o que chama mais a atenção de seus seguidores.

 

Fonte: http://revistapegn.globo.com/Dia-a-dia/noticia/2015/04/3-dicas-para-sua-empresa-se-dar-bem-nas-midias-sociais.html

 



A importância do conteúdo para o planejamento de branding

26 de Junho de 2015, 12:45, por George Freitas - 0sem comentários ainda

Para se entender a importância do conteúdo para o planejamento de branding, é necessário ter o conhecimento dos termos branding ou brand management. São termos importantes que determinam o estudo e o planejamento do posicionamento de uma marca no mercado. É neste momento que empresas trabalham para a criação da personalidade da marca, quais são seus valores, seu público-alvo e as estratégias que deverão ser adotadas para manter uma boa conexão com o esse público.

Vale lembrar que o branding não funciona isolado dentro da empresa, é uma atividade complexa que envolve diversos aspectos que vão desde programação visual até as embalagens, passando pela comunicação corporativa, atendimento ao cliente, publicidade e relações públicas. Essa complexidade é o que determinará a personalidade da empresa, a atitude que ela terá com seu público e qual a percepção que o mercado terá dela.

Por muito tempo, boa parte do investimento das empresas em branding era focado na publicidade e outros canais de comunicação de mão única, mas o crescimento da internet e de canais mais interativos e personalizados, deu um maior poder ao público, criando a necessidade de outro tipo de comunicação. A partir de agora, o público possui os meios para interagir com as marcas e também acompanhar suas ações, diminuindo o poder da mídia de massa, que é mais facilmente controlada. É nesse contexto que o marketing de conteúdo se torna um poderoso aliado ao branding.

É por meio dessa estratégia que empresas conseguem se conectar com o público de uma maneira mais autêntica, criando canais para contar suas histórias, interagir e mostrar a personalidade da sua marca, trazendo mais valor para seus clientes. Com um público cada vez mais informado, eles esperam esse tipo de engajamento e conseguem ver quando o valor real da marca não condiz com a imagem que ela quer passar.

Para finalizar listo aqui quatro dicas essenciais para ter uma estratégia de conteúdo que irá elevar seu branding para outro nível:

  1. Crie um alinhamento autêntico entre os valores de sua marca e o conteúdo gerado por ela;
  2. Conheça bem seu público-alvo e sempre crie conteúdos relevantes, que agreguem valor, para esse público;
  3. Crie conteúdo com frequência, pois somente assim é possível criar uma audiência fiel;
  4. Por fim, sempre foque sua estratégia de marketing de conteúdo em relacionamentos fortes com o público. 

Artigo de Vitor Peçanha, Co-Fundador da Rock Content, startup de Marketing de Conteúdo, que atua com o objetivo de ajudar empresas a gerar negócios por meio da geração de conteúdo estratégico.

 

Fonte: http://www.adnews.com.br/artigos/a-importancia-do-conteudo-para-o-planejamento-de-branding

 

 

 

 



6 ferramentas de Inbound Marketing essenciais para gerar oportunidades de negócio

25 de Junho de 2015, 17:25, por George Freitas - 0sem comentários ainda

Atualmente a concepção de inbound marketing está transformando a maneira com que as empresas se relacionam com seus públicos e, consequente, sua relação de vendas. Segundo a Resultados Digitais, empresa referência o assunto, a melhor definição para este conceito pode ser qualquer tática de marketing que se baseia em conquistar o interesse do consumidor ou cliente por meio de conteúdo relevante e atrativo, ao invés de apenas “empurrar” produtos de massa.

Deixamos para trás a era de um canal unilateral de comunicação e entramos em um momento em que o consumidor deseja se sentir parte da marca que consome. Por isso, a aplicação do inbound marketing é uma das melhores estratégias para empresas que desejam, não só ganhar novos clientes, mas também fidelizar o que já consomem seus produtos. Porém, em tempos de alta tecnologia, dispositivos móveis e mudanças cada vez mais rápidas, pode ficar complicado saber quais meios utilizar para aplicar o inbound em sua empresa.

Pensando nisso, elenco aqui 6 dicas de ferramentas que podem te ajudar:

1- Blog: é a base central do inbound marketing. É nele que se concentra toda a estratégia de conteúdo da empresa. Por meio dessa ferramenta, a marca pode compartilhar conteúdos relevantes como artigos, infográficos, cases de sucesso, entre outros assuntos que chamam a atenção dos internautas e fazem com que eles cheguem até a empresa;

2- Redes sociais: canal de comunicação que permite uma maior interatividade com o público. É por meio dessa ferramenta que o blog terá uma maior visibilidade, além de ser um canal onde é possível captar leads com maior facilidade;

3- Landing pages: são grandes aliadas para promover conteúdos especiais, como e-books. Com essa ferramenta, é possível converter um simples internauta curioso em um potencial cliente;

4- CRM: ferramenta que concentra todas as informações relevantes do seu público em um único lugar. Identifica em qual nível do funil de vendas ele se encontra, além de ter a seu dispor listas de e-mail para potencializar estratégias com e-mail marketing ou follow up a qualquer momento, podendo acompanhar tudo em dispositivos móveis;

5- E-mail: Hoje em dia todo mundo usa o e-mail como um canal de comunicação. É com o e-mail marketing, por exemplo, que a empresa nutre seus leads com conteúdos especializados e direcionados, conduzindo-os pelo funil de vendas até que se tornem clientes efetivos;

6- Monitoramento: Essencial para que a empresa conheça o impacto das suas ações com seu público e possa otimizar cada vez mais suas campanhas para atrair e converter mais leads e mais clientes. Uma das empresas referência no setor é a Scup, ferramenta que coleta conversas realizadas nas redes sociais em tempo real, armazena informações e permite uma análise por meio de uma interface simples e intuitiva.

Em resumo, você pode aliar técnicas de inbound, com a geração de conteúdo e então, trabalhar o lead pelo funil de vendas. Depois de gerar oportunidades por meio dos materiais divulgados, faça contato com as pessoas que mais se interessaram e baixaram seus materiais, incluindo eles no funil de vendas e fazendo o acompanhamento com follow-ups até a conversão da venda.

Gustavo Paulillo - CEO do Agendor, app que ajuda milhares de equipes a organizar e aumentar as vendas diariamente. Com versões gratuitas e pagas, atualmente o Agendor atende a mais de 6 mil clientes e tem nas PME’s e startups o principal público-alvo.

Fonte: http://www.administradores.com.br/mobile/noticias/marketing/6-ferramentas-de-inbound-marketing-essenciais-para-gerar-oportunidades-de-negocios/101747/?utm_source=MailingList&utm_medium=email&utm_campaign=News+-+03%2F06%2F2015



4 dicas para divulgar sua marca com pouco ou nenhum dinheiro

19 de Junho de 2015, 20:02, por George Freitas - 0sem comentários ainda

 

A comunicação de marca é fundamental para o desenvolvimento de um negócio, não importa o seu tamanho. Atualmente, marcas são mais que um logotipo ou uma identidade visual que remete a um produto, serviço ou organização. Marcas representam visões de mundo, valores e significados que precisam ser gerenciados pelas empresas como ativos intangíveis que diferenciam, atraem e trazem valor adicional.

É preciso reconhecer que a comunicação se torna cada vez mais complexa em função do bombardeio de mensagens a que todos estamos submetidos durante todo o dia. Tendo um smartphone com acesso à Internet, existem tecnologias que permitem criar, editar e divulgar conteúdos com fotos, vídeos e textos instantaneamente.

Isto trouxe possibilidades amplas de comunicação que se abriram para todos, beneficiando indivíduos e também as pequenas e médias empresas, que não dispõem dos orçamentos de comunicação de grandes empresas.

Entretanto, é preciso entender que tecnologias são ferramentas que devem ser escolhidas e utilizadas a partir de uma estratégia de comunicação adequada para a marca. O planejamento desta estratégia deve obedecer alguns passos:

1. Saiba com quem você quer falar


Antes de escolher ferramentas e ações de comunicação, é preciso saber quem é seu público, como ele se comporta e o que espera da sua marca. Procure ações focadas no seu alvo e evite dispersão do investimento.

Por exemplo: uma marca que atua e atende a um público de um determinado bairro pode utilizar ações que privilegiem a variável geográfica. Fechar parcerias com estabelecimentos, veículos e entidades da região e reforçando os laços com a comunidade local.

Em muitas ocasiões, o básico e o que parece mais simples podem funcionar melhor ou serem mais adequados ao que a marca precisa num determinado momento.

2. Seja original e fiel à sua identidade


Saiba quem você é para se diferenciar e comunicar sua mensagem de forma relevante e original. Não tente copiar outras empresas e ser o que não é, inclusive em suas estratégias de divulgação. Não é porque seu concorrente utiliza uma rede social ou um determinado veículo de comunicação que você deve usar também.

Não siga receitas de bolo em comunicação, use o mix de ferramentas disponíveis de acordo com os objetivos e estágio de desenvolvimento de sua marca.

E saiba que tudo comunica: uma embalagem, um contato telefônico ou atendimento pessoal podem falar mais sobre sua marca do que uma campanha publicitária inteira.

3. Use o digital a seu favor


Há quem diga que o que não está na Internet não existe. Como vimos, o digital representa uma revolução que beneficia as pequenas e médias empresas em sua comunicação. É possível utilizar este ambiente para fins diversos, como atendimento, vendas e divulgação da sua marca.

Insira o digital tanto para pensar em estratégias de mídias pagas como banners e links patrocinados, passando pela criação de perfis em redes sociais como Facebook, YouTube, Twitter, LinkedIn e Instagram.

É possível também entender melhor seu consumidor a partir do que ele está falando sobre a marca de forma espontânea e orgânica. Lembre que a comunicação hoje é feita não só pela marca, mas pelas opiniões de anônimos e do boca a boca digital, de forma colaborativa. Comunicação não é só falar, mas, sobretudo escutar e agir.

4. Integre e seja consistente


Por último, a cada ação planejada, pense em como ela se integra ao que já vem sendo construído a partir dos esforços de comunicação anteriores. As mensagens, ações e formatos evoluem, mas devem ter coerência para não confundir e manter a atratividade.

Lembre-se de que mais do que uma visão quantitativa e imediatista, baseada num grande volume de ações, likes e pessoas impactadas, é preciso ter uma visão qualitativa e de longo prazo, baseada na história que a marca quer contar e no relacionamento que está sendo construído com seu público de interesse.

Um ponto de atenção é para a continuidade das ações, principalmente nas redes sociais. É melhor ter poucos canais da marca, mas que sejam sempre atualizados e monitorados, do que ter vários desatualizados e nos quais os consumidores não recebem respostas às suas solicitações.

 
Silvio Koiti Sato é professor do curso de Publicidade e Propaganda da Fundação Alvares Penteado (FAAP).

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/4-dicas-para-divulgar-sua-marca-com-pouco-ou-nenhum-dinheiro