Ir para o conteúdo
ou

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Blog

31 de Janeiro de 2013, 0:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

A cooperativa de crédito é uma instituição financeira formada por uma associação autônoma de pessoas unidas voluntariamente, com forma e natureza jurídica próprias, de natureza civil, sem fins lucrativos, constituída para prestar serviços a seus associados.

Assim, essa comunidade online é um ambiente digital voltado para promoção e diálogos sobre esse ramo do Cooperativismo.


 


Sicoob SC/RS é destaque em ranking do Sicoob nacional

23 de Fevereiro de 2018, 14:34, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 0sem comentários ainda

Rui Schneider da Silva: gestão focada na eficiência operacional, governança sistêmica e qualificação de funcionários.

O Sicoob SC/RS é destaque no ranking dos melhores desempenhos do Sicoob, o maior sistema de instituições financeiras cooperativas do Brasil, presente em todos os estados e no Distrito Federal. O ranking compara a performance das 16 Centrais do Sicoob, que englobam 475 cooperativas de crédito com mais de 2,6 mil pontos de atendimento – quinta maior rede do país – e mais de 4 milhões de cooperados. O Sicoob SC/RS obteve o primeiro lugar em depósitos totais, com R$ 8,6 bilhões, crescimento de 18,2%; em depósitos a prazo, com R$ 7,2 bilhões, crescimento de 16%; e em número de cooperados, com 816,3 mil, crescimento de 13%. Para o presidente do Sicoob Central SC/RS, Rui Schneider da Silva, “isto é resultado de um trabalho ativo da Central e cooperativas, com foco na eficiência operacional, na governança sistêmica e na permanente qualificação dos funcionários, além de investimentos constantes em segurança e tecnologia”.

Em ativos totais o Sicoob SC/RS obteve o segundo lugar, com R$ 12,5 bilhões, crescimento de 18,5%, mesma classificação para depósitos à vista – R$ 1,3 bilhão (15,6%) – e receitas de prestação de serviços, com R$ 204,8 milhões (24,3%). Em Santa Catarina o Sicoob está presente em 253 municípios (85%), com 438 pontos de atendimento, e também em 29 cidades do Rio Grande do Sul e 20 do Paraná.

O Sicoob SC/RS conquistou o terceiro lugar no ranking do Sicoob nacional em resultados (lucro líquido ou sobras), com R$ 315,9 milhões, crescimento de 20,7%; operações de crédito líquida, com R$ 5,6 bilhões (13,4%) e resultado bruto da intermediação financeira, com R$ 734,8 milhões (19%). Em patrimônio líquido o Sicoob SC/RS obteve o quarto lugar, com R$ 1,9 bilhão (17,5%) e sexto lugar em capital social, com R$ 1,1 bilhão, crescimento de 13,7%.

O Sicoob SC/RS possui ativos de R$ 12,5 bilhões e é a segunda instituição financeira com o maior número de agências em Santa Catarina, além de ser também o segundo maior financiador da produção agrícola. No Rio Grande do Sul, a meta para os próximos anos é instalar agências em todos os municípios com mais de 20 mil habitantes.

Sicoob nacional

O Sicoob, maior sistema de cooperativas de crédito do Brasil, é composto por 475 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas de cartões, consórcios, DTVM, seguradora, previdência) provedoras de produtos e serviços especializados para cooperativas financeiras.
O Sicoob oferece os mesmos produtos e serviços de um banco, mas com muitas vantagens, já que os resultados retornam para o bolso do cooperado, que é cliente e dono do negócio. É composto por cooperativas financeiras e empresas de apoio que, em conjunto, oferecem aos associados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, entre outros.

Em 2017 o Sicoob realizou 2,6 bilhões de transações nos canais de atendimento. As transações realizadas por canais digitais já totalizam 71% – sendo 41% realizadas no mobile (celular). O total de ativos do Sistema chegou a R$ 90,4 bilhões, crescimento de 19,2%. Foram destinados às operações de crédito R$ 38,5 bilhões, um aumento de 11,4% em relação ao ano anterior. Os financiamentos rurais e agroindustriais chegaram a R$ 12,3 bilhões (7,3%) e os depósitos totais R$ 55,7 bilhões (crescimento de 16,3%).

A taxa média de juros praticada pelo Sicoob no crédito pessoal foi de 2,2% ao mês (29,7% ao ano), enquanto a média do mercado foi de 3,1% ao mês (44,3% ao ano). A remuneração ao capital social (juros pagos ao capital) foi de R$ 720 milhões. Em 200 municípios brasileiros o Sicoob é a única instituição financeira presente, atendendo cerca de 1,2 milhão de brasileiros que não possuíam atendimento pelo sistema bancário tradicional, elevando assim a inclusão financeira através do cooperativismo de crédito.

Fonte: Sicoob Central SC/RS – Assessoria de Imprensa.

Share on:
WhatsApp

O post Sicoob SC/RS é destaque em ranking do Sicoob nacional apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



Unicred RS, IESA e BMW assinam acordo de parceria

21 de Fevereiro de 2018, 20:16, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 0sem comentários ainda

Ação é exclusiva para cooperados da Unicred.

A Unicred RS sabe da importância de levar a seus cooperados oportunidades de negócios que agreguem e colaborem com seu desenvolvimento. Deste modo, foi firmado um acordo com a IESA e BMW do Brasil para disponibilizar condições especiais na aquisição de veículos das marcas BMW aos associados da Unicred RS.

O contrato de parceria foi assinado na sede da Unicred RS, em Porto Alegre, ocasião que contou com a presença do Diretor Comercial da concessionária IESA e BMW, Ambrosio Pesce, e, da Unicred RS, do Presidente do Conselho de Administração, Dr. Paulo Abreu Barcellos; do Diretor Geral, Rodrigo Borges; e do Diretor Administrativo e de Negócios, Gustavo Saltiél.

Por meio do convênio, todos os cooperados da Unicred RS, poderão adquirir veículos das marcas BMW (automóvel e motocicleta) e MINI com condições especiais direto de fábrica, seja pessoa física ou jurídica.
Para o diretor geral da Unicred RS, Rodrigo Borges, essa parceria junto a IESA e BMW do Brasil é um passo importante para a Unicred RS. “Uma parceria com uma marca reconhecida como é a BMW só vem a reforçar o nosso cuidado de oportunizar aos nossos cooperados diferenciais não apenas no aspecto financeiro, mas também de gerar negócios que agreguem qualidade”, afirma Borges.

“Sabemos que a Unicred representa significativamente as entidades de classes nas questões de crédito e de financiamentos, e as nossas marcas Premium atendem este público”, ressalta Pesce, diretor comercial da IESA e BMW.

Sobre a Unicred RS
A Unicred é uma instituição financeira cooperativa que atua no âmbito financeiro, concedendo empréstimos, financiamentos, aplicações financeiras, seguros, previdência e cartões aos seus cooperados por meio de uma gestão participativa, democrática e transparente. A Unicred RS possui 11 cooperativas e 56 unidades de negócios que representam 50 mil cooperados e R$ 3,1 bilhões de ativos no Rio Grande do Sul. Para mais informações, acesse www.unicred.com.br/centralrs.

Sobre Grupo IESA
Referência no mercado automotivo gaúcho desde 1992, o Grupo IESA conquistou a confiança e o prestígio dos gaúchos por sua competência, transparência e qualidade na prestação de serviços. Atualmente, é um dos mais representativos grupos automotivos do país com concessionárias das marcas BMW, BMW Motorrad, MINI, Volvo, Harley-Davidson, Jeep, Nissan e Renault. Com suas dez concessionárias Renault, a IESA é a maior Rede Renault do Brasil.

Share on:
WhatsApp

O post Unicred RS, IESA e BMW assinam acordo de parceria apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



SomosCoop, por Roberto Rodrigues

20 de Fevereiro de 2018, 11:39, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 0sem comentários ainda

 

É voz corrente que o cooperativismo não tem conseguido comunicar-se com a sociedade em geral de maneira a mostrar as qualidades da doutrina quando aplicada pelas cooperativas de todos os segmentos para o bem-estar dos cidadãos.

De fato, o próprio conceito é um pouco complexo: “cooperativismo é a doutrina que visa corrigir o social por meio do econômico”. O que isso significa? Pessoas se unem em cooperativas em busca de serviços de interesse comum que não conseguem obter individualmente; tais serviços melhoram a produtividade e a renda das pessoas associadas, e isso viabiliza o seu acesso à educação, à saúde e outros fatores que lhes garantam progresso social.

Embora isso pareça óbvio, não é trivial a criação de cooperativas a partir do zero. Além do aparato  doutrinário, há uma legislação estabelecendo as regras para tal feito. Mas, antes de tudo, pessoas que poderiam se beneficiar com a montagem de uma cooperativa precisam saber o que é exatamente esta instituição, o que a diferencia de uma outra empresa qualquer, como funciona etc. E, quando entenderem tais premissas, saberão que uma cooperativa é uma empresa também, baseada em valores e princípios, mas uma empresa que vai competir num mercado cada vez mais disputado. E, portanto, ela tem que ser necessária: não adianta criar uma cooperativa por criar; seus fundadores têm que admitir que ela é fundamental para sua sobrevivência e seu progresso econômico. E, mais ainda: ela tem que ser viável economicamente. Não se faz nada sem acreditar e investir; uma cooperativa não nasce de boas intenções apenas. E, naturalmente, é preciso liderança que cultive e estimule o espírito associativo, nem sempre fácil de conseguir.

Em resumo, montar uma cooperativa exitosa depende de muita informação e muita dedicação. Em busca dessas variáveis, a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) acaba de lançar um verdadeiro programa de comunicação sobre o tema: trata-se do SomosCoop, por meio do qual a entidade divulgará os valores, os princípios e o modelo do negócio cooperativo, para atrair mais gente para esse setor que equilibra os valores sociais e econômicos de uma coletividade.

O programa foi idealizado a partir da identificação de fatores negativos, tais como o desconhecimento e o reconhecimento do que seja cooperativismo, além dos diferentes estágios dele nas diversas regiões do País. Com esse diagnóstico claro, o projeto visa:

  1. atualizar o significado da doutrina e fortalecer o cooperativismo no Brasil;
  2. despertar o sentimento de pertencimento e orgulho nos cooperados;
  3. promover a intercooperação;
  4. agregar valor para produtos e serviços das cooperativas;
  5. e alinhar o Sistema OCB ao cooperativismo internacional representado pela Aliança Cooperativa Internacional (ACI).

Este último objetivo, aliás, faz todo sentido: existem, no mundo, mais de l bilhão de pessoas filiadas a cooperativas. Se cada uma tiver três dependentes, chega a 4 bilhões o número de terráqueos ligados ao setor, mais da metade da população do Planeta. Enquanto isso, aqui, temos pouco mais de 20% de brasileiros nas mesmas condições. O SomosCoop será um conjunto de ações e campanhas que mostrarão os valores da doutrina, “convocando” os cidadãos de bem para que se somem a esse grande movimento global. Até que enfim, um projeto claro que certamente trará bons resultados!
———–

Roberto Rodrigues é Coordenador do Centro de Agronegócio da FGV (GV Agro), embaixador especial da FAO para as Cooperativas e presidente do LIDE Agronegócios

Share on:
WhatsApp

O post SomosCoop, por Roberto Rodrigues apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



A Era do Propósito, por Thiago Caetano

20 de Fevereiro de 2018, 10:33, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 0sem comentários ainda

Estamos no início de uma nova revolução na forma com que as empresas fazem negócios e se relacionam com seus stakeholders, sociedade e com o planeta.

Em 2008 quando explodiu a grande crise econômica do século atual, o capitalismo foi colocado a prova e duramente questionado, onde pairam críticas e dúvidas até os dias atuais, sem falar do reflexo imensurável de desconfiança, medo e angústia. O fato é que muitas pessoas começaram a perceber de forma mais nítida o que movia todo o sistema: A ganância descontrolada, o lucro pelo lucro. Nesse sistema para a quase totalidade das organizações imperava a velha máxima de “Os Fins justificam os meios”. Deixando-nos uma pergunta: Qual será o sentido de tudo isso?

A partir desse fato, o mundo não foi mais o mesmo, emergiu desse episódio então um novo consumidor, aqueles que buscam o real significado das organizações, esse público cresce a cada dia, pois sabem que é preciso algo maior por trás do mero consumo. Eles querem adotar marcas que agregam valor, buscam empresas das quais possam defender pelos ideais, por acreditar no que essas empresas acreditam. O exemplo mais emblemático que temos é a gigante Apple, que se tornou objeto de desejo de muitos, simplesmente por acreditar que todos podem “Pensar diferente”, “Desafiando o status quo” de cada um, fornecendo o que as pessoas mais querem, “uma causa para defender”.

A cada dia percebemos que as pessoas estão buscando mais significado, sentido para o que fazem, desde sustentabilidade ambiental até impacto social, as pessoas querem empresas que pratiquem verdadeiramente o bem, não apenas como mais uma ação de marketing, mas sim como algo da essência dessas organizações. Assim nasce uma geração que se resume a uma frase: “Vamos fazer deste mundo um lugar melhor”, e ela quer viver a Era do Propósito.

Percebemos nos últimos anos uma crescente de grandes empresas como (Apple, Disney, P & G, Mac Donald´s) e para citar algumas nacionais (Pão de Açúcar, Algar, Riachuelo, entre outras), que estão mudando o ponto de partida dos seus negócios, estão começando pelo Por quê? Essa pergunta tem uma resposta muito além do lucro, essas empresas incluem sociedade, clientes, meio ambiente no seu núcleo de negócios e não à margem, o fato é que elas primeiro investem energia pensando como podem fazer cada vez mais o bem para as pessoas e para o planeta. Essas empresas encontraram o seu PROPÓSITO !!

Ainda é confuso para muitos o significado teórico e prático do Propósito. Ressalto que Propósito não é a Missão, pois missão é o Que Fazemos Bem, Propósito não é a Visão, pois visão é para onde estamos indo, e Propósito não é uma causa ou ação social. Propósito é sim nossa razão de existir, é o “PORQUÊ” estamos aqui.

Falar de Propósito e Cooperativismo, é conectar-se numa escala ainda maior, pois a origem do Cooperativismo já foi o estabelecimento de um Propósito em si. Cooperativas possuem na sua essência, no seu nascimento o “fazer o bem”. Mas é preciso alertar que temos ao mesmo tempo uma lacuna e uma grande oportunidade, onde a maioria perde a oportunidade de resgatar e disseminar o Propósito, e com isso levar a cultura adiante, para conectar todos os colaboradores, cooperados e comunidade. O propósito já existe dentro de cada Cooperativa, só precisa ser extraído, unificado e uma vez descoberto por TODOS da equipe, cria uma liga que literalmente atrai o time e potencializa o nível de engajamento e realização. Portanto, traz o significado para todos de fazerem o que fazem, pois quando sabemos o Porquê, e ele faz sentido e toca a todos, o time enfrenta e descobre os melhores “como” fazer.

A velha máxima de o que nos trouxe até aqui, não nos garantirá que cheguemos ao futuro, nunca foi tão verdadeira. Descobrir o Propósito não só potencializa o presente, mas garante a perenidade, o Propósito é o que de fato vai tornar a sua Cooperativa única, pois ele nasce das entranhas da organização e nunca poderá ser copiado.

 ———————————

Autor: Thiago Caetano – Cofundador Instituto Realizare – www.institutorealizare.com.br

Share on:
WhatsApp

O post A Era do Propósito, por Thiago Caetano apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



Sicredi figura na 60ª colocação entre os 200 maiores  grupos empresariais do País

18 de Fevereiro de 2018, 10:28, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 0sem comentários ainda

Em 2017, a instituição financeira cooperativa subiu 19 posições na 11º edição do ranking do Valor Grandes Grupos, em relação ao ano anterior

O Sicredi – instituição financeira cooperativa com 3,6 milhões de associados e atuação em 21 estados brasileiros – figurou em 2017, mais uma vez, com destaque no ranking Valor Grandes Grupos, elaborado pelo jornal Valor Econômico, que apresenta a radiografia das 200 principais corporações em atividade no País. A instituição financeira cooperativa ocupou a 60ª posição entre os 200 maiores grupos empresariais, saltando 19 colocações em relação ao ranking do ano anterior, e o 8º lugar entre as 10 que mais cresceram em Receita.

O Sicredi também se destacou com posições relevantes na categoria Setor de Finanças do ranking: 14º lugar entre os 20 maiores da área de Finanças; 2º entre os que mais cresceram em Receita, 8º entre os 20 maiores em Patrimônio Líquido; 10º entre os 20 maiores em Lucro Líquido e 6º entre os 20 melhores em Rentabilidade Patrimonial.

A 11ª edição do Valor Grandes Grupos traz organogramas completos com as participações acionárias de grupos empresarias cuja receita somada equivale a 50% do Produto Interno Bruto (PIB), além de projeções e análises de especialista sobre quatro grandes setores: comércio, indústria, serviços e finanças.

Vale destacar que, em 2017, o Sicredi marcou presença em diversos rankings e premiações nacionais, entre as maiores instituições financeiras do País, tais como Top 5 (Banco Central), Broadcast Projeções (Agência Estado), Empresas Mais e Finanças Mais (jornal O Estado de S.Paulo), Melhores & Maiores 2017 (revista Exame), Valor 1000 (jornal Valor Econômico), Época Negócios 360º (revista Época), Melhores Empresas para Você Trabalhar e Melhores Empresas Para Começar a Carreira (revista Você S/A). Todos esses rankings evidenciam a robustez do modelo de gestão da instituição.

Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,6 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 21 estados*, com 1.500 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br.

 *Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Share on:
WhatsApp

O post Sicredi figura na 60ª colocação entre os 200 maiores  grupos empresariais do País apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



Categorias

Gestã de Pessoas em Cooperativas, Desenvolvimento territorial, Finanças Solidárias, Crédito, Crédito e finanças
Tags deste artigo: crédito finanças banco cooperativa