Ir para o conteúdo
ou

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Blog

31 de Janeiro de 2013, 0:00 , por Rede Ola.coop.br - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

A cooperativa de crédito é uma instituição financeira formada por uma associação autônoma de pessoas unidas voluntariamente, com forma e natureza jurídica próprias, de natureza civil, sem fins lucrativos, constituída para prestar serviços a seus associados.

Assim, essa comunidade online é um ambiente digital voltado para promoção e diálogos sobre esse ramo do Cooperativismo.


 


Sicredi está entre as 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil

25 de Novembro de 2019, 17:54, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 1Um comentário

Além de avançar em categorias importantes do ranking, instituição financeira cooperativa ficou em 2º lugar na classificação de Serviços Financeiros.

Pelo nono ano consecutivo, o Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 4 milhões de associados pelo país, foi classificado no ranking das “150 Melhores Empresas para Trabalhar” no Brasil. A lista, divulgada na terça-feira, 19 de novembro, é resultado da pesquisa realizada pela revista Você S/A, da Editora Abril, em parceria com a Fundação Instituto Administração (FIA), com mais de 250 mil trabalhadores de cerca de 500 empresas e instituições, incluindo o Sicredi, nas cinco regiões do país.

As notas são utilizadas pelos organizadores do ranking para calcular dois indicadores: o Índice de Qualidade no Ambiente de Trabalho (IQAT), que é baseado na visão dos colaboradores, no qual o Sicredi atingiu 92,3, e o Índice de Qualidade na Gestão de Pessoas (IQGP), que é a avaliação feita pela publicação, em que a instituição financeira figura com 62,7. Os dois indicadores formam o Índice de Felicidade no Trabalho (IFT), onde o Sicredi atingiu a marca de 81,9.

Na classificação setorial de Serviços Financeiros, o Sicredi foi destaque, ocupando o 2º lugar e tendo como pontos positivos enfatizados a criação de um grupo de diversidade, a adoção de um assistente virtual, chamado Hugo, para interpretação de libras, além de aulas da linguagem para os funcionários.

Entre os indicadores usados para compor os índices, destacarem-se no IQAT “Employer Branding”, com nota 98,0; “Sustentabilidade e Diversidade”, (97,3); “Estratégia e Objetivos” (95,4); “Processos e Organização”, (94,8); “Comunicação Interna” (94,6) e “Participação e Autonomia” (92,9). Já nos índices relativos ao IQGP, os destaques foram “Processos e Organização”, que recebeu nota 92,3; “Estratégia e Objetivos”, (84,8); “Participação e Autonomia”, (76,5); “Relações Interpessoais”, (74,5); “Comunicação Interna”, (70,1); além de “Employer Branding”, que atingiu o índice 66,2.

Segundo Rodrigo Wegener, superintendente da área de Gestão de Pessoas do Sicredi, o bom desempenho no ranking deste ano e de anos anteriores reflete a essência da instituição. “As pessoas são o centro da nossa atuação e com os nossos colaboradores, que também são associados, não poderia ser diferente. Por isso, buscamos atrair pessoas que se identifiquem com a causa do cooperativismo e nos preocupamos em oferecer as melhores condições para que elas exerçam suas atividades”, afirma.

Atualmente o Sicredi tem com mais de 28 mil colaboradores, que atuam em 112 cooperativas espalhadas por 22 estados e no Distrito Federal. Em 2017, a instituição deu início a um processo de transformação no seu modelo de organização interna, adotando metodologias ágeis e proporcionando ainda mais autonomia aos colaboradores.

Sobre o Sicredi
O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Share on:
WhatsApp

O post Sicredi está entre as 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



Sicoob promove, amanhã, a Black Friday Consórcios

21 de Novembro de 2019, 17:46, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 44 comentários

Amanhã, sexta-feira (22/11), o Sicoob promove a Black Friday Consórcios, operando com desconto de 25% na taxa de administração durante todo o dia. A campanha é nacional, sendo válida para todas as modalidades do produto (automóveis, motos, imóveis, maquinário agrícola, serviços e bens duráveis).

O Sicoob Consórcios não possui taxa de adesão e nem incidência de juros, sendo destinado para pessoas físicas, jurídicas, associados ou não das cooperativas financeiras. Para contratar um plano, basta comparecer a uma instituição do Sicoob e fazer a adesão.

Share on:
WhatsApp

O post Sicoob promove, amanhã, a Black Friday Consórcios apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



Obsoletos em tempo real. Urgente uma Diretoria de Inovação. por Ricardo Coelho

19 de Novembro de 2019, 17:20, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 0sem comentários ainda

Tudo bem! É interessante viajar para vermos o estágio atual de técnica em outros cenários, como também o é interagir diretamente com startups, fintechs e assemelhadas. Esses movimentos nos emprestam um ar de modernidade e nos dão a ideia de que estamos antenados com as mudanças. Entretanto, vejo ser prudente delegar a quase totalidade dessas funções à uma diretoria específica, para que, assim, nos retroalimentemos das tendências e novidades que podem nos ajudar ou afetar, como e quando isso poderá ocorrer. Vamos analisar o contexto para melhor compreensão dessa “disruptiva” proposta!

Imaginemos que somos um Diretor ‘x” ou um Conselheiro “y”, e que, certamente quem nos elegeu/contratou irá validar nossa eficácia diária diante do desafio originalmente acordado, sendo que esses desafios, por si só, são enormes e requerem uma intensa dedicação. Mas, se junto a esse desafio incluirmos estudos e longas e recorrentes viagens, sempre com o intuito de nos mantermos totalmente alinhados à tecnologia, certamente a premissa que nos levou à contratação não será feita a contento, mesmo que, por algum tempo, ainda apresentemos elevação dos resultados, já que resultado não é atestado de eficácia comercial, como já visto em vários artigos. É importante aqui frisar que é quase impossível entender completamente esse cenário dito disruptivo, mesmo para um profissional focado na tecnologia financeira e 100% plugados no mundo digital.

Diante disso, podemos, sem perceber, estar dando atenção exagerada às intrigantes e encantadoras novidades tecnológicas, em detrimento da condução eficaz de temas complexos para os quais fomos contratados para gerir, e que exigem um enorme e dinâmico apendizado como: queda da Selic; concorrência; fusões/incorporações; perda de aderência da base; carência ou ineficácia de funding; validar o nível de confiança da sociedade na instituição; concentrações; custos; elevação de provisão etc.

Portanto, apesar de ser prazeroso e interessante estar frente a frente com as inovações ditas disruptivas, devemos ter ciência de que o tempo que dispendemos para compreendê-las, incluindo nossos naturais deslocamentos e seus custos, não nos permite ficar “doutores” nesses temas, e muito menos irá permitir que sejamos eficazes diante dos desafios para os quais fomos contratados. Portanto, diante disso, sugerimos que sua Singular adote a figura do Diretor de Inovações.

O Diretor de Inovação pode ser, inclusive, um cargo gerencial e estar lotado na Central ou em um grupo de Singulares com elevada afinidade. Ele, nada mais é do que um profissional conhecedor do nosso modelo de negócio, mas com enorme facilidade em entender e prever como cada uma das centenas de novidades tecnológicas que aparecem todo dia pode vir a somar ao nosso negócio e, principalmente, quando é que estarão maturadas para que sua implementação seja segura e de baixo custo. Isso, pois, desconhecemos sócios que irão nos deixar porque levamos meses para implementar uma novidade dita disruptiva. Claro que o papel do “Diretor de Inovação” é também nos apresentar onde estamos vulneráveis frente a novas tecnologias e como devemos mitigar esse risco, sem perder a essência que ainda nos move até hoje, a qual já tem uma boa dose de tecnologia embarcada. Pode, ainda, indicar onde podemos estar fomentando startups/fintechs para que tenhamos um mínimo de ações proativas nesse segmento, mas sem que isso nos faça desviar dos desafios para os quais fomos contratados/eleitos.

Reflexões finais: Esse breve artigo é um pensamento que não explicitei no recente artigo de muita repercussão: “Fintechs – Disruptivas ou inovações já saturadas?”. Esse tema veio-me à mente quando apresentei esse meu desconforto criando um slide em um de nossos recentes eventos nacionais. Denominei o slide de “Obsoletos em Tempo Real. Urgente uma Diretoria e Inovações.”.

Esclareci à plateia que esse profissional deve mensalmente se reunir por no máximo duas horas com os tradicionais Diretores e Conselheiros, resumindo o que viu, aprendeu e como imagina algumas dessas inovações irão nos afetar. Além disso, o Diretor de Inovação deve ponderar sobre a quem cabe a responsabilidade pelas eventuais ações para mitigar o risco ou potencializar oportunidades. E se há esse responsável na instituição ou em uma estrutura superior caso esteja filiada a outros níveis hierárquicos.

Por fim, nossos líderes e profissionais não lotados na Diretoria de Inovação devem ter enorme afinidade na era digital, para que sejam adaptativos e ágeis ao conectar com cada um de seus sócios no grau de aderência tecnológica que esses determinarem.

Concordar é secundário. Refletir é urgente.

Ricardo Coelho – Consultoria e Treinamento Comercial para o Cooperativismo de Crédito
www.ricardocoelhoconsult.com.br – 41-3569-0466 – Postado em 05/11/2019

Share on:
WhatsApp

O post Obsoletos em tempo real. Urgente uma Diretoria de Inovação. por Ricardo Coelho apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



Sicredi está entre as cinco maiores empresas da Região Sul

13 de Novembro de 2019, 12:00, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 0sem comentários ainda

No ranking das 500 Maiores do Sul, instituição subiu uma posição em relação à última edição

O Sicredi, instituição financeira cooperativa com presença em 22 estados e no Distrito Federal, alcançou a 4ª colocação no ranking das 500 Maiores do Sul 2019, divulgado pela Revista Amanhã e PwC, subindo uma posição em relação à edição do ano anterior, quando ocupava a 5ª posição. A metodologia empregada para a classificação tem como base o Valor Ponderado de Grandeza (VPG), indicador que faz a média ponderada entre os três principais resultados das empresas: o patrimônio líquido (peso de 50%); a receita bruta (40%); e o lucro ou prejuízo (10%).

Já no ranking das 100 Maiores do Rio Grande do Sul, o Sicredi subiu uma posição, atingindo a liderança. Também ocupa o 1º lugar na categoria Financeiro. Conforme o levantamento, entre as 500 Maiores do Sulestão 189 companhias do Rio Grande do Sul, 186 doParaná e 125 de Santa Catarina.

Atualmente, a instituição financeira cooperativa conta com mais de 4 milhões de associados e 27 mil colaboradores. Os ativos do Sicredi somam R$ 109,6 bilhões e o patrimônio líquido é de R$ 16,8 bilhões. A carteira de crédito totaliza R$ 66,5 bilhões e os depósitos totais alcançam R$ 69,9 bilhões.


Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins. Facebook | Twitter | LinkedIn | YouTube |Instagram

Share on:
WhatsApp

O post Sicredi está entre as cinco maiores empresas da Região Sul apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



Sicredi é a 5ª maior empresa da Região Sul

13 de Novembro de 2019, 12:00, por Portal do Cooperativismo Financeiro - 0sem comentários ainda

O Ranking das 500 Maiores Empresas do Sul é uma parceria entre o Grupo Amanhã e a PwC

A Revista Amanhã e a PricewaterhouseCoopers (PwC) – referência global em auditoria, assessoria tributária e empresarial –, apresentaram em coletiva de imprensa dia 13 de novembro, o resultado da pesquisa do Ranking das 500 Maiores Empresas do Sul do Brasil.

Realizado há 28 anos, a parceria entre PwC e o Grupo Amanhã revela hoje indicadores de cerca de 4 mil empresas, apontando as 500 maiores e as 500 emergentes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, utilizando como única fonte os balanços financeiros oficiais publicados pelas companhias.

No ranking consolidado, o Sicredi se manteve na 5ª posição dentre as 10 maiores da Região Sul do Brasil. E quando se olha os 10 maiores em Patrimônio Líquido, o Sicredi avança para a 3ª posição.

Já no ranking das 100 Maiores Empresas Gaúchas, permaneceu na 2ª posição entre as 10 maior do Rio Grande do Sul. Mas quando é avaliado – em separado – os resultados do Lucro Líquido, Maior Capital de Giro Próprio e Maior Receita Líquida, o Sicredi passa a ocupar a 1ª posição no ranking. Importante salientar que na elaboração dos rankings por estado, vale o endereço da sede da empresa. Por essa razão, o Sicredi não aparece no SC e PR, apesar de possui operações relevantes nestes estados.

A metodologia empregada para a elaboração do critério de classificação do ranking é baseada no Valor Ponderado de Grandeza (VPG), indicador criado com exclusividade pela PwC, que faz a média ponderada entre os três principais resultados das empresas: o patrimônio líquido (peso de 50%); a receita bruta (40%); e o lucro ou prejuízo (10%). Dentro dessa lógica de análise, as empresas também são avaliadas pelo impacto da atuação regional, levando em conta sua capilaridade de investimentos locais.

Para acessar a pesquisa na íntegra: http://www.amanha.com.br/500maiores/

Sobre o Sicredi 

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,9 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br.

Share on:
WhatsApp

O post Sicredi é a 5ª maior empresa da Região Sul apareceu primeiro em Portal do Cooperativismo Financeiro.



Categorias

Gestão de Pessoas em Cooperativas, Desenvolvimento territorial, Finanças Solidárias, Crédito, Crédito e finanças
Tags deste artigo: cooperativa banco crédito finanças