Ir para o conteúdo
ou

Thin logo

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

Sistema cooperativista baiano promove nono Encontro de Alinhamento Estratégico

14 de Novembro de 2018, 13:35 , por Iasmin Santana - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 67 vezes
Alinhamento estrategico 2018 ok

O Sistema OCEB realizou mais uma edição do Encontro de Alinhamento Estratégico, na última quinta-feira (08/11) e sexta-feira (09/11). A atividade, que está na sua nona edição, reuniu os Conselheiros e funcionários do Sistema OCEB e dirigentes de cooperativas baianas, além de contar com a participação de representantes, parceiros estratégicos e instituições ligadas à prática educacional e cooperativista, como: Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Universidade do Recôncavo da Bahia - UFRB, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, Instituto Federal Baiano – IF Baiano, Federação das Indústrias do Estado da Bahia – FIEB e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae/BA, além da participação da Gerente Geral do SESCOOP Nacional, Karla Tadeu, da Gerente de Planejamento, Pricila Topolski, e da Analista de Promoção Social, Gleice Moraes.

No primeiro dia de evento, o presidente do Sistema OCEB, Cergio Tecchio, deu as boas-vindas ao público, enfatizando a importância da contribuição de cada um para disseminar a cultura cooperativista, levando também em conta o momento de transição política com a entrada de um novo governo. “O cooperativismo tem uma missão: fazer a vida das pessoas melhores. É uma missão ainda maior para nós que participamos de um evento como esse. Se colocarmos os princípios do cooperativismo em prática, vamos mudar a sociedade. No novo país que está surgindo, precisamos continuar fazendo a diferença”, afirmou.

Apresentando as “Novas Diretrizes do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo – SESCOOP”, Karla Tadeu, Gerente Geral do SESCOOP Nacional, pontuou a necessidade da aplicação do plano. “Essa diretriz precisa ganhar vida, ela não pode ser um caderninho para ficar ali guardado, mas sim um instrumento vivo. A ideia é transformar a diretriz em um ciclo virtuoso, gerando propósito para as cooperativas, mostrando onde a gente quer chegar. Por isso, precisamos planejar, arregaçar as mangas e fazer acontecer.”

Alinhamento estrategico 2018 3

Para a Conselheira da OCEB e Presidente da Cooperativa de Ensino da Região de Irecê - Coperil, Alaerte Miranda, o encontro foi primordial para estreitar laços entre as cooperativas baianas. “Foi uma verdadeira imersão. Muita satisfação em ver o quão bem representado as nossas cooperativas estão em nível estadual e nacional. Aproveito para tirar o chapéu para a equipe que é pequena  para tanta coisa que faz”, comentou.

Abordando sobre a necessidade de disseminar a doutrina cooperativista, José Paulo Crisóstomo, Secretário Executivo do Conselho Estadual de Cooperativismo na Bahia – Cecoop, aproveitou a oportunidade para destacar a necessidade de debater o cooperativismo nas mais distintas instâncias do poder público. “Precisamos fazer com que todas as autoridades passem a conhecer a Lei Estadual do Cooperativismo. Nos próximos anos, nós teremos 600 milhões de pessoas desempregadas no mundo, segundo a ONU, e qual a alternativa apresentada para a superação desse problema? O Cooperativismo. O maior instrumento de promoção do desenvolvimento, de inclusão social é o cooperativismo. Precisamos trabalhar isso junto às autoridades e a sociedade, com um debate permanente na Assembleia Legislativa, e junto aos prefeitos municipais porque é lá que acontecem as ações.”

Desenhando os próximos passos do cooperativismo baiano, Osvaldo Ribeiro, membro do Cecoop e associado da Cooperativa de Profissionais Liberais da Bahia - Cooliba e do Sicoob CredExecutivo, aproveitou a oportunidade para ressaltar a importância do cooperativismo do ramo crédito como impulsionador da economia nacional. “O cooperativismo é instrumento de inserção do indivíduo na sociedade. Quando falamos do ramo crédito é uma outra ferramenta de inserção do indivíduo no mercado financeiro. Hoje nós temos 90% do mercado financeiro concentrado em 5 instituições e eu acho que o cooperativismo de crédito, chamado de financeiro, atualmente, vai fazer uma grande diferença e tem um grande espaço para crescer.”

 

EDUCAÇÃO COOPERATIVISTA

Atrelado ao quinto princípio cooperativista, que tem como base a promoção da educação, o Encontro de Alinhamento Estratégico deste ano contou com a participação de professores de universidades e escolas baianas, que, na oportunidade, contribuíram na construção do debate.

De acordo com Professor da UFRB e Coordenador do Curso de Tecnologia em Gestão de Cooperativas, Ugo Matias, além de um momento de prestação de contas e interação o evento é uma possibilidade de conhecer o cooperativismo baiano e suas aplicações por meio do contato com as cooperativas. “Como representante de um curso que deve formar gestores em cooperativa, para mim é muito bom ver que se trata na verdade de um mercado, um campo de trabalho, de negócios, muito dinâmico, em que as pessoas estão dispostas e motivadas. Essa energia é muito boa para levar de volta. Além dela, pude testemunhar as discussões que estão sendo feitas e os futuros gestores que lá são formados precisam estar avisados de tudo isso, além do fato de que eles precisam estar avisados das ferramentas e apoio que um sistema como esse oferece às cooperativas que operam no mercado. Esse sistema tá absolutamente comprometido com o propósito de oferecer educação cooperativista, fomentar e fortalecer a cultura cooperativista.”

 Alinhamento estrategico 2018 4

 

PARCERIAS INSTITUCIONAIS

Como forma de fortalecer os laços com empresas que também atuam com foco em desenvolvimento socioeconômico, o evento também foi palco para encontro e trocas entre instituições. A Analista Técnica da Unidade de Gestão do Portfólio do Sebrae/BA, Vanessa Mutare, destacou os a importância de “estreitar esse relacionamento porque tanto as cooperativas quanto o Sebrae têm um objetivo comum, que é capacitar os empresários, promover esse desenvolvimento empresarial no país. É importante conhecer como funcionam as cooperativas, quais as diretrizes, os objetivos estratégicos de cada uma e, com isso, a gente também fazer um planejamento interno dentro da instituição para ver qual é a melhor forma de fazer essa parceria para que dê certo, para que 2019 a gente tenha uma atuação diferente, a gente consiga trabalhar de forma mais harmônica e conjunta.  Ter conhecido muitas pessoas foi uma grande oportunidade, conhecer gestores de diversos municípios, trazer essa vivência, esse olhar externo, e agora é a gente conseguir traçar novas estratégias de atuação.”

Desbravando um novo universo, a Analista de Estudos Técnicos da FIEB, Ana Paula Almeida, vê com surpresa as iniciativas do Sistema OCEB. “Eu não sabia que as cooperativas tinham todo esse engajamento. Fiquei impactada positivamente. O cooperativismo é uma tendência e que deve se fortalecer no Nordeste. Estamos no caminho certo na Bahia.” 

Os participantes também puderam acompanhar a apresentação do trabalho que está sendo realizado pelo Sistema OCEB em 2018 para contribuir com o desenvolvimento do cooperativismo baiano nas mais diferentes vertentes (gestão, governança, representação) e do que está planejado para 2019.

Ascom Sistema OCEB

Fotos: Neo Santana 

 

Alinhamento estrategico 2018 27


Tags deste artigo: Gestão Sescoop/BA cooperativismo bahia planejamento cooperativas baianas Sistema OCEB

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

* campo é obrigatório

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.