Ir para o conteúdo
    <li class="asset_articles"><a href="/search/assets?asset=articles"><span class="icon-menu-articles"></span><strong>Artigos</strong></a></li> <li class="asset_people"><a href="/search/assets?asset=people"><span class="icon-menu-people"></span><strong>Pessoas</strong></a></li> <li class="asset_products"><a href="/search/assets?asset=products"><span class="icon-menu-product"></span><strong>Produtos</strong></a></li> <li class="asset_enterprises"><a href="/search/assets?asset=enterprises"><span class="icon-menu-enterprise"></span><strong>Cooperativas</strong></a></li> <li class="asset_communities"><a href="/search/assets?asset=communities"><span class="icon-menu-community"></span><strong>Comunidades</strong></a></li> <li class="asset_events"><a href="/search/assets?asset=events"><span class="icon-event"></span><strong>Eventos</strong></a></li>
ou

Thin logo

Tela cheia

Quem Somos

4 de Fevereiro de 2013, 0:00 , por daniela - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1031 vezes

A competência dos produtores de abacaxi do município baiano de Itaberaba, a 285 quilômetros de Salvador, aliada a um clima favorável à produção e comercialização da fruta, trouxe um resultado expressivo para um grupo de cooperados locais.

A Coopaita, fundada em 2003, atende hoje 140 famílias. A produção é realizada através da cultura de sequeiro, ou seja, sem irrigação. Por conta disso, os produtores de Itaberaba dependem também dos fatores climáticos para conseguir um bom desempenho.

“Este ano, deu tudo certo. Mas temos que nos preparar também para períodos em que o clima pode não ajudar muito”, explica Valdomiro. “Nosso foco principal está na comercialização. Porém, esse crescimento nos possibilitou ampliar nossas estratégias também para a industrialização”, complementa. A unidade agroindustrial está na fase final de estruturação e deve começar a funcionar em janeiro, com a produção de abacaxis desidratados.

Referência: Revista Globo Rural


Categorias

Agropecuário